Vidme Vai Encerrar Actividade

Vidme Vai Encerrar Actividade

Estava eu na pausa de ver mais um viciante episódio da primeira temporada de The Punisher no Netflix, quando resolvo ir conferir os meus emails a altas horas da madrugada. Tinha alguns novos. Por entre spam para aumentar o meu já de si enorme pénis, tinha um email que me chamou particularmente à atenção. Era do Vidme. Más notícias. Não para mim, mas para os utilizadores da plataforma. O Vidme vai encerrar actividade.

Vidme Vai Encerrar Actividade

O Vidme vai encerrar actividade já no próximo dia 15 de Dezembro de 2017. Neste momento já não é possível registar uma nova conta de utilizador ou iniciar um canal. A plataforma vai mesmo desaparecer do mapa no dia 15 de Dezembro. O que irão fazer os criadores de conteúdo da plataforma? Regressar ao YouTube? Abrir canal no YouTube? Ir ou regressar para o DailyMotion? Ou outra plataforma idêntica que me esteja a falhar? Ah, o Vimeo! Lembrei-me agora desta plataforma também.

De todas as alternativas ao YouTube que já vi, estejam ainda activas ou já tenham encerrado actividade, o Vidme foi o único que me pareceu ter uma clara ideia do que queria fazer no meio. Mas a ideia pode ser muito boa. Basta faltar dinheiro, e tempo para gastar muito dinheiro sem retorno no curto e muito menos no médio prazo, e a melhor ideia tem um fim. O factor monetário pesa, e muito.

E há ainda outro factor que me ocorreu agora. Ter muitos, mas mesmo muitos, utilizadores e ainda mais criadores de conteúdo relevantes para cativar a atenção. Para além disto sem publicidade é complicado sobreviver e cativar criadores de conteúdo. O Vidme foi vítima de vários factores. Mas um deles foi o de pensar que era capaz de ter o plano certo para criar um nicho dentro de um ramo em que os lucros são nulos a escassos. E num segmento gigante que pouco ou nada rentável é, um nicho ainda menos o é.

Criador de Conteúdo Típico do Vidme

Eu ao navegar pelo Vidme encontrei um criador de conteúdo típico para esta plataforma. E não se trata do tipo de utilizador que fez parte do nascimento. Estou a falar de um tipo de utilizador “colonizador” da plataforma. Tem paralelo com outra situação. A migração que muitos streamers fizeram da Twitch para o Mixer. E os motivos são os mesmos. Fraca monetização num ponto. E noutro o facto de não terem conquistado audiência ou atenção por parte dos utilizadores das plataformas onde estavam. E por isso resolveram mudar de ares. Tentar a sua sorte noutro lado.

Mas com isto algo de pouco positivo aconteceu. Grande parte do conteúdo criado no Vidme por esses migrantes do YouTube foi o de entrar em modo câmara de eco. Vídeos e vídeos e mais vídeos a andar à roda do tema Vidme é melhor que o YouTube, Vidme é que vai ser, Vidme é que é. Afinal já não é. E não ia ser. Este tipo de criador de conteúdo não interessa para nada nem para ninguém. Sim, digo-o com toda a sinceridade.

Estava ali montada uma bomba relógio. Malta ressabiada por não ter sucesso e culpar outros e outras plataformas por isso é o prato do dia. Seja nestas plataformas de vídeo, streaming e até em blogs. O Ser Humano anda com os mesmos problemas em todo o lado que está. Alguns e algumas acham que têm um direito qualquer a receber atenção ou a ter sucesso só porque sim. Porque se acham acima dos outros. Mas não são nem estão. Estão sim num processo de negação da realidade e acima de tudo das suas capacidades. Isso gera mau conteúdo e mau ambiente numa plataforma. E isso não interessa a uma valiosa fatia de público. Prescinde completamente dos dramas mais alucinados.

Quando Não Me Cheirou Bem

Depois de criar a minha conta de utilizador e andar a navegar pelo conteúdo disponível, e algum bom conteúdo foi encontrado. Vários canais com conteúdo de qualidade, boa apresentação e lançamentos regulares. Procurava nesta plataforma mais um local para colocar os episódios do podcast do blog do PUMPUM, o Experiência Estereofónica. Mas, há sempre um mês, estranhei uma limitação nos uploads. A limitação não era na quantidade de ficheiros de vídeo que se podiam colocar na plataforma.

Estava no peso que cada ficheiro podia ter. Isso limitava por vários factores a duração de cada vídeo e na qualidade. Numa era em que a migração para resolução de 4K está a ganhar ímpeto, o Vidme estava desta forma a querer manter viva a resolução de 720p como o seu padrão. Não faz sentido. E faz com que a ideia que era passada pela plataforma não fosse necessariamente verdade. Várias vezes aconteceu estar a ver vídeos e o buffer ser constante ao ponto de me fazer perder o interesse em ver o resto do vídeo. Até que vi que a plataforma não tinha a liberdade necessária para os meus ficheiros lá estarem. E por isso cheirou-me a que o Vidme vai encerrar actividade. E foi mesmo assim.

Quando uma plataforma deste tipo, que necessita de uma grande quantidade e qualidade de infra-estrutura para estar a operar ao melhor nível sem fazer um tostão, começa a colocar este tipo de limitação é porque está a ter uma incapacidade de crescer. Não em visibilidade, não em utilização. Mas em armazenamento. E a falta de anunciantes é outro problema. Porque a partir do momento em que se quer ter anunciantes na plataforma o Vidme por todos os motivos conhecidos tinha que se tornar num YouTube. Não há como fugir a isso. Alias, até há como fugir a isso. É encerrar a actividade.

Vidme Vai Encerrar Actividade

Não tenho alegria com isto. É pena. Mas aqui fica uma vez mais provado que este tipo de plataforma ainda não é rentável. E para ser atractiva a anunciantes, utilizadores e criadores de conteúdo necessita de ter por trás alguém, neste caso uma grande empresa, com a capacidade financeira, e a vontade, de estar a ter prejuízo durante muitos anos até os custos operacionais caírem de modo a tornar este negócio em alto rentável. Ser YouTube é mesmo só para o YouTube. Com tudo de bom e mau que isso tem.

Agora o PUMPUM quer saber a tua opinião e comentário ao tema Vidme vai encerrar actividade. Deixa a tua opinião e comentário em baixo. Tinhas na canal na plataforma Vidme? Conhecias a plataforma ou seguias algum criador de conteúdo por lá? Tenho todo o gosto em ler e responder. Não te esqueças de partilhar o artigo e o blog pelas redes sociais. Obrigado.

Comentários

Partilhe com um amigo