Shenmue I e II

Shenmue I e II

Shenmue I e II é finalmente relançado 17 anos depois da sua estreia na última consola da SEGA, a Dreamcast. Para uma nova geração de consolas, para PC e principalmente para os mais nostálgicos dos tempos da SEGA Dreamcast e conquistar uma nova geração de jogadores que não sabe o que é Shenmue ou o que foi. E até o que poderia, ou não, ter sido. O tão esperado lançamento de Shenmue III está marcado para o dia 27 de Agosto de 2019. Chamo desde já à atenção que esta review contém spoilers para os jogos.

SHENMUE I E II

Shenmue I e II

Até lá, com o lançamento de Shenmue I e II, os fãs podem deixar as versões de emulador de lado e reviver a experiência de andar livremente por várias localidades no Japão e China. Os novos interessados podem descobrir este jogo, que ou vão adorar ou detestar, e experimentar em primeira mão um projecto que com os seus méritos e deméritos esteve à frente do seu tempo e inovou em vários aspectos. Aspectos esses que são dados como banais e não creditados à fonte original dessa concretização: Shenmue.

O PUMPUM é um fã incondicional de Shenmue. E finalmente, a meu ver, a SEGA teve a clarividência, algo que lhe falta muito e com regularidade, para aproveitar o potencial que os seus clássicos podem ter nos tempos modernos. Shenmue é um clássico que esteve tempo a mais na prateleira. E a ideia que fica é que sai para uma nova geração não por fazer parte de um processo racional de boa decisão de negócios. Mas sim pelo aparente interesse significativo dos fãs no terceiro jogo da saga.

Comprei todos os jogos de Shenmue quando foram colocados à venda na Europa. Shenmue para a SEGA Dreamcast, depois Shenmue II para a SEGA Dreamcast e mais tarde a reedição de Shenmue II para a XBox original. A saída de Shenmue II para a XBox original foi o que me levou a comprar essa consola. Uma excelente consola mas que sem esta passagem de vários títulos da SEGA em exclusivo para lá eu nunca teria adquirido uma.

A ESTRUTURA DA REVIEW A SHENMUE I E II

Shenmue I e II

Como estamos perante um lançamento que inclui os dois jogos, Shenmue I e II, mas o código fonte de cada um deles é de proveniência diferente optei por separar a review. Ou seja, vou analisar de forma independente cada um dos títulos Shenmue. O código fonte de Shenmue provem da versão original para a SEGA Dreamcast, sendo que o código fonte de Shenmue II provem da versão lançada para a consola XBox original. E por existirem estas diferenças nos códigos fonte dos jogos os resultados finais são distintos. A review que faço é da versão PC/Steam. E em cada um dos jogos vou ter em atenção o aspecto gráfico, a jogabilidade e o som. Darei também uma pequena introdução à história, localizações e principais personagens e motivações.

Antes de prosseguir quero mencionar que esta review aos olhos de alguns pode ser extensa. Tal deve-se ao facto de ser um dos meus jogos favoritos de sempre e de os ter jogado em livestream no meu canal na Twitch. Podes dar o deu follow aqui: https://www.twitch.tv/PUMPUMpt

SHENMUE

Shenmue I e II

Shenmue tem lugar no fim do ano de 1986 no Japão, mais concretamente em Yokosuka, Dobuita, Yamanose e no Porto de Yokosuka. Tudo começa com o protagonista, Ryo Hazuki, a chegar em passo acelerado à sua residência. Alguém está no interior da Residência Hazuki. Porta aberta, placa de identificação partida e um carro preto de alta cilindrada no exterior. Daqui para a frente começa a acção que lança as bases da história para a motivação do protagonista procurar vingança.

Shenmue é um jogo de exploração, acção e aventura com liberdade de movimentos e interacção com o ambiente e NPC’s. Simula vários aspectos daquilo que é a vida real e o dia-a-dia. A progressão na história é feita por via de investigação de pistas que abrem caminho a novas pistas e assim sucessivamente. Pelo meio há a liberdade, possibilidade e curiosidade de explorar tudo e mais alguma coisa para descobrir surpresas, segredos e muito mais.

GRÁFICOS

Shenmue I e II

As cutscenes aparecem no formato original de 4:3. Apesar disso ocupam toda a área disponível do ecrã. Podem fazer um pouco de confusão as barras pretas em cada lado, mas ao fim de um tempo já passam perfeitamente ao lado. A qualidade das texturas foi ligeiramente melhorada. Numas nota-se claramente, noutras não tanto. Shenmue pode ser jogado em 4:3. Por isso se queres nostalgia ao máximo tens essa opção. Os efeitos de luz foram melhorados. O jogo corre a 30fps fixos. Há algum problema de nota com isso? Não. Para mim a fidelidade visual está muito boa. Infelizmente ainda aparecem e desaparecem transeuntes do nada tal como acontecia na versão original na SEGA Dreamcast. A D3T optou por não trabalhar neste aspecto. Mas há que realçar que nas áreas mais movimentadas não existe qualquer decréscimo de performance.

JOGABILIDADE

Shenmue I e II

O controlo foi trabalhado para os comandos modernos. E bem trabalhado. Na versão Dreamcast o controlo era por vezes complicado dada a disposição dos botões. Os botões têm um design bastante agradável e facilitam a utilização e aplicação dos mesmos.

SOM

O som em Shenmue está 100% igual à versão da SEGA Dreamcast. O que quero dizer com isto? Que infelizmente a qualidade não é a melhor. Nota-se bastante bem a falta de fidelidade. Infelizmente o som não foi trabalhado, alterado, etc… E talvez não fosse difícil pegar nas gravações originais sem compressão. Mas para cortar em custos o som ficou tal como estava. Podes escolher entre audio em inglês ou em japonês.

SHENMUE II

Shenmue I e II

Shenmue II tem lugar no início do ano de 1987 com a chegada de Ryo Hazuki a Hong Kong, na China. O primeiro ponto de contacto com Hong Kong é o Porto da cidade. E a área é gigante em comparação com o que ficamos, ou ficámos, habituados no primeiro jogo. Aqui é tudo ainda maior. O que não é mau. É uma progressão natural. Percebe-se que no desenvolvimento de Shenmue 2, tanto a versão SEGA Dreamcast como a versão XBox – que serve de base a este lançamento – já se conheciam as reais capacidades de performance que a última consola da SEGA tinha e até o que podia ser melhorado na versão transferida para a consola da Microsoft.

GRÁFICOS

Shenmue I e II

As cutscenes aparecem no formato original de 16:9 mas, o mais estranho, é que a resolução das mesmas é a do jogo original. Por isso existem barras pretas em todos os lados durante as mesmas. Não deu nem dava para colocar as cenas a ocupar toda a área do monitor? É que as cutscenes no primeiro têm a proporção de 4:3 mas ocupam a área total do ecrã. Aqui não! Não se pode ter tudo. E a ideia deste lançamento não era mesmo ter tudo.

Os gráficos e efeitos visuais de Shenmue II estão num patamar superior aos do primeiro. Isto já era notório nas versões originais de cada um deles nas respectivas plataformas. Aqui ainda se nota mais. E também realço que dos dois jogos este é o que menos trabalho deu e teve para a portabilidade para PC e actual geração de consolas (PlayStation 4, PlayStation 4 Pro, XBox One S e XBox One X).

Infelizmente também aqui, ainda aparecem e desaparecem transeuntes do nada tal como acontecia na versão original na SEGA Dreamcast e também na versão da XBox original. A D3T optou por não trabalhar neste aspecto. Mas há que realçar que nas áreas mais movimentadas não existe qualquer decréscimo de performance apesar disto acontecer.

JOGABILIDADE

Shenmue I e II

As áreas são agora muito maiores em relação ao jogo anterior. E por isso perderes-te no meio de uma rua ou bairro é muito fácil. E será recorrente caso não compres o mapa de cada zona onde estás e marques nele os pontos-chave de interesse para a tua exploração. Se não precisares de mapa tiro-te o chapéu porque tens uma excelente capacidade de memória e orientação. Eu ainda sou capaz de me perder em Shenmue II, no primeiro não.

Os telefones desapareceram. Isto porque muita gente quando o primeiro jogo foi lançado em 1999 resolveu andar a ligar para os números que apareciam no bloco de notas de Ryo. E os números até existiam no mundo real e os seus proprietários andavam a ser importunados. Por isso a SEGA teve o bom senso de retirar o uso livre de telefones por completo de Shenmue II. Não notei a sua ausência na altura e agora no relançamento de Shenmue I e II também não.

Os controlos estão exactamente iguais aos da versão da XBox original. Não notei qualquer mexida. Até o UI durante o jogo é igual. Numa nota pessoal gostava de ver o mesmo design de botões que foi dado à versão de Shenmue.

SOM

Shenmue I e II

O som em Shenmue II é um mistério para mim. Passo a explicar. O volume de som em Shenmue está no ponto certo. Não tive necessidade de mexer em nada Estranhamente o volume de som em Shenmue II está ao mesmo nível que o de Shenmue, 100%, mas as vozes e música estão muito baixos. Não sei o que se passou. Espero que a SEGA e a D3T corrijam isto e nivelem o som para os mesmos patamares. A qualidade do som em si é melhor do que no jogo anterior. Em parte também porque o código fonte do mesmo é a versão da XBox original, por isso a compressão é mínima. Podes escolher entre audio em inglês ou em japonês.

TRAILER OFICIAL SHENMUE I E II

Trailer Oficial para o lançamento de Shenmue I e II.

VEREDICTO A SHENMUE I E II

Shenmue I e II

Agora chega a parte mais importante desta review a Shenmue I e II. O veredicto. A SEGA entregou esta colossal tarefa ao estúdio inglês D3T que pegou no código-fonte de cada um dos jogos para os transportar para um novo tempo e com significativas melhorias a nível visual e de controlos. A D3T está de parabéns pelo trabalho realizado. Este estúdio já tinha feito um excelente trabalho com a colecção de jogos SEGA Mega Drive Classics.

Vale a pena comprares? Bem, eu não quero estar a dizer o que deves ou não comprar e jogar. Gostos são gostos. E não conheço um jogo tão polarizador como Shenmue no que a gostos diz respeito. Há que ter em conta uma aspecto importante. Não estamos perante um HD Remaster, ou pelo menos um como vimos a acontecer com outros jogos. Estamos perante a transposição de dois jogos de uma plataforma extinta, sim em parte é um exagero utilizar essa palavra, para hardware moderno e com isso vários aspectos tiveram de ser trabalhados para tornar a experiência aceitável. Desse ponto de vista a tarefa foi plenamente conseguida por parte da D3T.

Mais do que isto que aqui vemos só mesmo com um remake e não com um HD Remaster muito light. Sim, Shenmue I e II, mesmo a correr a 1080p a 30fps está com excelente aspecto tendo em conta aquilo que é feito por vários emuladores de SEGA Dreamcast. É uma boa passagem de 480p 30fps para 1080p 30fps. Mas bem feito. Shenmue I e II não quer ser mais agora do que foi na altura do lançamento. E isso é de louvar para os mais puristas, como é o meu caso. O que foi alterado, em termos de menus e pouco mais, faz todo o sentido e não rouba nada ao sentimento nostálgico.

Se é para ti ou não depende única e exclusivamente dos teus gostos. A minha opinião é de que Shenmue I e II não é um jogo de e para massas. Daí também não ter servido de ajuda a vender consolas SEGA Dreamcast quando era necessário e impreterível. Shenmue I e II não são jogos para consumo, são obras de arte para serem apreciadas. E como qualquer obra de arte a sério não é consumida em massa. É apreciada em nicho. Claro também fica que Shenmue I e II remete para a máxima de mínimo investimento para o máximo lucro possível.

O TEU COMENTÁRIO É IMPORTANTE

Esta foi a minha review a Shenmue I e II. Como sempre a tua opinião ou comentário é bem vindo. Podes deixá-lo em baixo na caixa de comentários. Tenho todo o gosto em ler e responder. Também podes dar as tuas sugestões de conteúdos aqui para o blog do PUMPUM. Não te esqueças de aparecer  pelas livestreams que faço na Twitch de segunda a sexta a partir das 21:30 GMT. Segue o canal, activa as notificações e interage no chat numa comunidade positiva de entreajuda e partilha de experiências e conhecimentos.

Facebook | Twitter | Google+ | Instagram | YouTube | Steam | Twitch | Pinterest | TumblrReddit | Feed RSS

Comentários

Partilhe com um amigo