Call Of Duty Modern Warfare Beta já está encerrado nos livros da História. O PUMPUM fez parte deste momento. Quantas horas jogou? Muitas. Mais – e sim, é um facto – do que as que tem actualmente no Call Of Duty: Black Ops 4 enquanto escreve estas linhas. Mas não é para isso que serve este post com a análise ao que esta Beta mostrou sobre o potencial do jogo a sair no dia 25 de Outubro. O evento anual está aí: mais um Call Of Duty! Vamos lá dissecar o que aconteceu durante um fim-de-semana de acção intensa na Closed Beta para PC.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

A experiência do PUMPUM (pumpumpt) no Call Of Duty Modern Warfare Beta foi boa? O jogo interessou? A Activision vai arruiná-lo com micro-transacções? A Infinity Ward continua a ter um fetiche por ter uma palete de cores escura nos seus jogos COD? Tudo isto e muito mais vai ser respondido pelo PUMPUM neste post. Não vão querer perder uma única linha deste que promete ser um maravilhoso texto. Se estão à espera de um bota-abaixo pelo bota-abaixo, este não é o texto para vocês. Eu sei que se tornou popular dizer mal por dizer mal dos jogos Call Of Duty.

Mas atenção, há vários pontos de crítica válidos. Eu tenho vários e vocês também. Podemos ou não convergir neles. O que é natural e de certo modo normal. Não somos todos iguais nem temos os mesmos gostos. Mas o meu ponto central nesta série de jogos é que menos é mais. Menos quê? Menos jogos lançados. Em vez de ser lançado um a cada ano, mudem para um a cada dois anos. Assim não há saturação e os estúdios têm mais tempo para trabalhar a fundo, ter mapas e lançamento de conteúdo com cabeça, tronco e membros durante o período de vida expectável para o jogo.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

A Qualidade Da Ligação Aos Servidores

O PUMPUM começa já por este ponto. Normalmente é o mais maçador, o mais incompreendido, mas sem dúvida o que mais importância tem. Não ligar a isto é negar muitas das evidências. E apesar do que vou escrever de seguida sobre a minha experiência com Call Of Duty: Modern Warfare Beta, tenho essa noção sempre presente. Era a versão Beta. Espero que no restante tempo até ao lançamento da versão finalizada do jogo vários destes pontos sejam corrigidos. E que a equipa tenha tomado boa nota do que está bom, mau e assim-assim. O netcode de um jogo multiplayer é tão ou mais importante que o resto.

Pessoalmente, os dias da closed beta foram os que melhor ligação ofereceram. Sim, eu sei que na primeira meia-hora a uma hora da abertura que os servidores estavam a emperrar. Mas assim que isso foi ultrapassado a experiência de jogo foi ultra suave e sem espinhas. E digo isto sem qualquer exagero. Logo na quinta-feira à noite espetei com um Merciless (Impiedoso – causar 10 mortes em jogadores da equipa adversária consecutivamente) numa partida de Team Deathmatch. Acrescento também que joguei a versão PC com a opção de crossplay desactivada. O PUMPUM não quer misturas com jogadores desses equipamentos de inferior qualidade e performance chamados de consolas (PlayStation 4 e XBox One).

Vamos aos dados concretos. Infinity Ward, tirem a possibilidade de se ver o IP dos jogadores nas partidas. Isto aparece porque a comunicação por voz no jogo utiliza o protocolo Pier-To-Pier. Mas o que me espantou foi que mesmo a desactivar nas opções de jogo a opção de comunicação por voz no jogo os IP’s lá continuam a aparecer. Não directamente no jogo – que fique bem claro – mas caso utilizem o Wireshark ficam a nu. E uma vez mais, tal como aconteceu no Call Of Duty: Black Ops 4, esta malta não gosta do Wireshark. Assim que o jogo sente o Wireshark mata o seu próprio processo. Parece que querem esconder algo à força. Mas sem necessidade. Os dados de latência revelados pelo jogo não eram reais.

Retirem também a divisão que nalguns casos fazem aos pacotes de dados enviados para o Cliente. Porque caso uma das divisões de pacote de actualização para o Cliente ( que é o vosso PC) se perca pelo caminho, e isso acontece mesmo em casos com excelentes ligações à internet, a actualização não é feita por falta de uma das partes dividas. O netcode do modo Ground War – onde podem estar no máximo 64 jogadores (32 versus 32) – precisa de ser trabalhado. O modo de jogo em si é propício à confusão e tiros por todo o lado. Se o netcode não está bem trabalhado muitos tiros ou acções não vão ser correctamente registados. O mapa é maior que o “normal” num modo multiplayer, mas mais pequeno que um mapa de um modo Battle Royale e por isso a concentração de jogadores em simultâneo é muito maior.

De resto o netcode não está mau de todo. Lá está, alguns dos problemas dou de barato que se devam ao facto de se ter estado a usar uma versão Beta do jogo. E também que a rede de servidores de jogo dedicados não seja de topo e que não tenham contado com tanta gente a jogar como aconteceu durante a open beta. A flutuação que detectei na comunicação entre Cliente (o vosso PC) e o Servidor era entre os 60hz, 62hz e 64hz. O que não é mau. Traduzindo: no mínimo o Cliente e o Servidor comunicavam entre si 60 vezes por segundo no mínimo e no máximo 64. A verdade é esta. Mesmo em Beta, mesmo com os problemas de netcode sentidos no modo Ground War, está anos-luz à frente de muitos jogos com mais tempo de mercado. Sim, Call Of Duty: Modern Warfare Beta tem melhor netcode que o CSGO e que o Rainbow Six: Siege.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

Os Modos de Jogo

O PUMPUM esteve presente em todos os modos de jogo que foram disponibilizados em rotação no Call Of Duty Modern Warfare Beta. O modo em que mais tempo passei foi o Domination. Estranhei o modo NVG (modo em que se joga com os óculos de visão nocturna). Não que a gameplay fosse má. Não é isso. Nalguns pontos do mapa podia-se aceder a um quadro eléctrico para ligar a iluminação dentro de uma área e com isso “cegar” por causa do aumento da luminosidade. O próprio ADS da arma era diferente. Uma vez que tinha laser equipado para ajudar à pontaria, ao fazer ADS este era com a arma numa posição lateral. Tem o seu estilo e pinta. Mas nada demais.

O Deathmatch regular também foi muito fluído de se jogar. Os mapas era interessantes. Mas vou falar deles no ponto seguinte. Também experimentei durante o sábado e o domingo o modo Ground War. Mas não me cativou muito. Muita confusão, muita gente a acampar. E para a história desta Beta fica o registo da enorme quantidade de acampados em praticamente todos os modos de jogo. Não havia edifício onde não se colocassem a um canto escuro para ganharem vantagem.

Gostei do modo Cyber Attack. Trata-se de um Search & Destroy evoluído com a possibilidade de se ressuscitar os companheiros de equipa que já foram abatidos. Assim deste modo cada ronda pode estender-se por mais tempo e desequilibrar por completo a partida de um momento para o outro. Não é novidade algo assim no mundo dos videojogos com cariz competitivo. Mas achei uma agradável adição. Neste modo as partidas decorreram sem qualquer problema de ligação. Uma vez mais, pelas características do mapa onde joguei, havia acampados por tudo o que era canto escuro.

Experimentei o modo 2 versus 2. Correu bastante mal porque foi 1 versus 2. O meu parceiro, aleatório, saiu logo no começo da partida e eu fui completamente aniquilado. Não tive tempo para respirar entre cada ronda porque era afunilado. Quando tiver melhor parceiro as coisas mudam. Oh se mudam.

A Jogabilidade

PUMPUM dá nota positiva à jogabilidade apresenta por Call Of Duty: Modern Warfare Beta. A presença de portas e a interacção possível com as mesmas, no desenrolar da habituação ao jogo, vai tornar-se fulcral para certos modos e momentos das partidas. Andar a correr em direcção a uma porta ou várias faz com que as mesmas abram, e com isso emitam som que alerta os adversários. Pode-se também abrir uma fresta da porta para fazer pontaria. É mais uma agradável adição de profundidade à jogabilidade.

A seringa existe. Mas não está disponível de imediato. Tem que ser desbloqueada através da progressão. E mesmo assim só permite, no máximo, ser utilizada duas vezes. Ou seja, usam duas seringas e ficam com o stock esgotado. Só voltam a ter stock das mesmas quando morrerem durante a partida. Interessante. O Dead Silence não se equipa. Nada disso. Ele existe, mas como um extra para a equipa inteira. O Dead Silence está agora disponível como uma espécie de semi-scorestreak. Ao mesmo nível que a colocação de uma barreira, etc… Os scorestreaks são aquilo a que estamos habituados nos COD:MW.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

Os Mapas

O PUMPUM correu todos os mapas disponibilizados durante Call Of Duty Modern Warfare Beta. Obviamente que nuns tive uma adaptação mais rápida do que noutros. O próprio modo de jogo ajudava ou dificultava essa tarefa de adaptação para o domínio. Não achei os mapas maiores. Excepto o mapa do modo Ground War. E esse, por motivos mais do que óbvios, faz todo o sentido em ser maior.

O que notei foi que os mapas têm mais área de jogo. Sim, sem serem maiores. A área de jogo aumenta porque dá para entrar em vários edifícios espalhados pelo mapa e têm rés-do-chão e primeiro andar para vaguear. E para os fracotes acamparem nos cantos escuros. Não que outros Call Of Duty não permitam entrar igualmente dentro de edifícios nos mapas. Mas não na quantidade presente em Call Of Duty Modern Warfare Beta. Aqui estamos noutro patamar.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

As Armas

O PUMPUM saúda a utilização de armas que existem no mundo real. Apesar de não ser viciado em armas na vida real. Fica-me pelo interesse pelas mesmas nos videojogos e já chega. Das armas disponibilizadas na Beta utilizei até à exaustão a M4 (Assault Riffle) e a MP5 (SMG). Estas “meninas”, com a correcta ida ao gunsmith, davam resultados OP durante as partidas. OP demais nalguns casos. Precisam do seu debuff antes do lançamento. Neste campo gostei da evolução que os loadouts levaram em relação ao que anteriormente se tinha em Call Of Duty.

É diferente, bastante diferente, daquilo que se tem no Call Of Duty: Black Ops 4. Mas isso é bem-vindo. O foco parece ser o de dar mais atenção à escolha dos melhores apetrechos para cada uma das armas. Cada arma pode levar adicionados, ou modificados, cinco apetrechos, apesar de existirem muito mais do que cinco. O restante loadout do operador não difere muito das opções vistas em jogos anteriores de Call Of Duty.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

Os Operadores

PUMPUM reparou que há muitos operadores por onde escolher. Não estavam todos acessíveis na Beta. Não sei se estarão todos disponíveis para escolha logo que se comece o modo multiplayer na versão final do jogo, ou se vão sendo desbloqueados consoantes se progride. Eu fiquei-me pelo Krueger. Reparei que cada operador não tem nenhum qualquer tipo de habilidade única ou característica. Só muda o seu aspecto. Por exemplo no Black Ops 4 cada operador tem o seu conjunto de habilidades específicas para além do seu aspecto.

Considero o caminho aqui mostrado uma mudança no melhor caminho. Quero jogar como me apetecer independentemente do aspecto do operador. Eu escolho o operador que quero e depois então confiro as habilidades com as quais mais me sinto à vontade para jogar.

O Som

PUMPUM adora jogos com bom som. Na Beta de Call Of Duty: Modern Warfare não detectei significativos problemas de som. O som dos passos, tiros, estilhaços, explosões, etc, estavam realistas e com o posicionamento correcto. As músicas presentes na Beta também achei de boa qualidade e assentam que nem uma luva no jogo e nos momentos em que tocavam.

Os Gráficos

O PUMPUM gosta de bons gráficos. E Call Of Duty Modern Warfare Beta tem. Um ou outro glitch, é certo. Mas até dia 25 de Outubro há mais do que tempo para isso ser corrigido. Não é preciso terem uma placa gráfica do outro mundo para tirarem partido de uma boa experiência visual com este jogo. No mínimo tenham uma GTX 1060 com 6GB GDDR5 de VRAM. Menos que isto ou um modelo de placa gráfica com performance inferior e vão ter problemas.

Não se esqueçam que este jogo, e também este tipo de jogos, requer um bom processador. No mínimo tenham um Intel Core i7-4790K ou mais recente com performance idêntica ou superior para não terem qualquer problema a jogar. Este COD puxa pelo CPU, e puxa bem. Por isso bom CPU é necessário. Não facilitem nestes campos. O código de Call Of Duty: Modern Warfare Beta é melhor que o do Call Of Duty: Black Ops 4. É assim mesmo. Sem espinhas. E gosto dos Black Ops. Mas os factos são os factos. COD:IW tem melhor código que o COD:BO3 e o COD:MW (este) tem melhor código que o COD:BO4.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

Pensamentos Finais

PUMPUM são os seguintes. Estamos perante um jogo Call Of Duty com identidade. Pode não ser a identidade que muitos queriam, que muitos gostem ou que venham a gostar. O que é certo é que a tem. E isso, para mim, é interessante. Há um claro piscar de olho a quem gosta e joga Rainbow Six SiegeBattlefield. É inegável que foram buscar inspiração e mecânicas a estes dois jogos. Call Of Duty: Moder Warfare Beta está muito mais táctico do que é normal num COD. É mais lento do que o BO4. Não que isso seja mau. Mas há que comparar o que tem comparação para se perceber que abordagem foi dada.

Aqui dá-se primazia a pensar antes de agir, do que o agir para ou por agir. Vai dividir os jogadores mais puristas de Call Of Duty ou os que não querem grandes mudanças, mas sim um novo bom jogo deste universo.

Call Of Duty Modern Warfare Beta

Dia 25 de Outubro há mais para jogar e experimentar no Call Of Duty: Modern Warfare. O PUMPUM vai trazer o jogo para o canal na Twitch. Partilhem este post por todo o lado. Sigam nas redes sociais. Apareçam e interajam nas livestreams. Podem, e devem, sugerir conteúdo. Há sempre espaço para inovar e melhorar. Até ao próximo post!

 

SEGUE-ME NAS REDES SOCIAIS:
Twitter / Instagram / Facebook / Twitch / YouTube / Reddit / Steam

 

Elite Club no Discord

PUMPUM WebHS